terça-feira, 16 de setembro de 2008

A verdade,

era assim. um passado. não tão remoto. nem absorto. porque era meu. eu escrevi. eu desenhei. eu contei as histórias. eu esperei. eu sorri. eu chorei. me valho de alguns fatos. que contarei mais adiante. essas palavras postas aqui. são de cunho especial. relevantes. e sinceras.
o tempo passou. mas lembrei-me da minha infância. que não era tão fácil como hoje. mas que me fez ser o que sou. não que isso seja importante. mas posso afirmar. que valeu a pena. todos os segundos. todos as semanas. todos os meses. e anos.
era assim:
até eu ir a escola. minha mãe foi convocada para ficar em casa. cuidar do meu irmão. de mim. e da casa. por isso meu pai trabalhava. em dois empregos. e chegava tarde em casa. mas ainda assim. era especial. o que éramos. meu irmão. um ano mais velho que eu. cuidava de mim. e eu era convidada pro time de futebol dele. e também para as escaladas de muro. essas que valeu algumas marcas até hoje. e quando eu chorava. ele fazia cosquinhas pra eu sorrir. e quando mereciamos algum castigo. meu irmão fugia. me agarrando pelas mãos. e adentrando o quintal de casa. eu tinha medo. por isso. logo me entregava. quando comecei a ir na escola. sentia medo. e chorava também. então meu irmão passou a me levar todos os dias. até a mesa que me sentava. lembro de um dia. quando intrigada minha professora o questionou. por que ele me levava. e esperava por um tempo. só olhando. e sorrindo. ele com apenas 5 anos. disse que eu tinha medo. e ele me protegia. do meu medo e do homem do saco. crescemos assim. ele meu melhor amigo. e eu. a melhor amiga dele. sempre senti ciúmes. das inúmeras namoradas. que ele conquista até hoje. com extrema facilidade. mas sei que uma parte dele é minha. uma parte do amor é só meu. e alguns telefonemas. ainda são só pra mim.
outra coisa que me lembro. é do meu pai. ainda sujo do trabalho. ao pisar em casa. eu corria pros braços dele. e pedia churros. naquela hora. que não se encontra isso em lugar nenhum. ele voltava pro carro. e saíamos procurar. às vezes. eu falava que tinha vontade sem ter. só pra podermos conversar. e eu ouvir a voz grave dele. depois voltavamos pra casa. ele esperava eu dormir. pra poder apagar as luzes. depois. quando virei mulher. ele sempre quis saber. quis conhecer. mas nunca escondeu o ciúmes que sentia da princesa dele. certa vez ele me fez prometer. que se um dia eu casasse. e sofresse. eu teria que contar. falar pra ele. porque ele iria me salvar. eu prometi.
minha mãe. o cheiro particular. a risada estrondoza. e os cabelos lisos. que ela sempre tentou tornar crespo. as broncas. e as compras. como eu desejo ser como ela. tão simples. e boa. ela e minha tia-madrinha. são até hoje. um espelho. um modelo.
todos meus segredos. eu contei. todos os meus amores. apresentei. e todos os dias vivi.
não sei porque nunca mencionei minha família por aqui. tenho tanta sorte. porque minha vida toda. eles estavam ali. esperando. levando. buscando. ensinando. mostrando. cuidando. sorrindo. chorando. comigo. por mim.
sei que tenho sorte. por tudo o que vivi. e agora. distante. mas não tão longe. faz tanta falta. o cheiro. a voz. o abraço. até mesmo as controvérsias.
todas às vezes que fiz. e eles discordaram. não deu certo.
todas às vezes que fui. e eles não foram. não foi completo.
todos os dias eles foram e são. verdade. amor. sorrisos. telefonemas. cartas. saudade. afeto.

Obrigado a todos pela atenção. gostaria apenas que soubessem. o quanto é bom amar. mas melhor é amar alguém que te ama. antes de saber qual sua cor. ou face. e ainda supera a vida. ao teu lado. chora com você. torce com você. e sorri com você. e acima de tudo. está com você em todos os lugares. em todos os sentidos. pode parecer clichê. ou auto- ajuda. mas é minha verdade. que divido com o mundo.

3 comentários:

f@ disse...

A cor da verdade sempre beijinhos das nuvens

Alexandre Henrique. disse...

:) Está é Jaque, Amor e Surpesas! :***, linda,como sempre :) , eu que te agradeço moça, não existe felicidade maior do que a de dividir ! Escrevi um texto que me inspirei aqui, espero não ter falado besteira..
Beijos, e que este amor puro de mãe, sempre proteja agente.

A Senhora disse...

Foi a história de amor mais linda que já li!

beijinhos