quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Simples

por vezes busquei sentidos. tentei ouvir sons. pintar tonalidades. inventar palavras. outras tantas vezes fechei os olhos. para imaginar ou sonhar. as histórias que já escrevi. ou mesmo as que li. quis dizer frases certeiras. mas não. lembrei das pessoas que conheci. até esquecê-las por um tempo. meu coração palpitava. e senti medo. nada mudaria. pois tudo já estava diferente. antes acreditava no que o mundo me contava. agora traduzo o mundo. encontro sentido no silêncio e na ausência de cores. invento palavras que para o meu eu. fazem sentido. abro os olhos para imaginar e sonhar. encontrei dentro de mim. e tão perto. o que buscava longe e fora. não quero mais conjugar verbos. ou relembrar tabuadas. deixo apenas o que sou. e o que sou não é só. nem particular. a saudade ainda dói. e o meu medo ainda existe. então noto que nem tudo está diferente. agora sei. e o meu saber é a simplicidade. desde o café da manhã. até a hora em que me deito. sei ainda. que minha existência é uma partilha. sou as broncas do meus pais. e a continuidade deles. sou os jogos de futebol que joguei ao lado do meu irmão. e os nossos segredos. sou as noites acordada com minhas amigas. e um pouco das conversas e bebidas que dividimos. sou as férias que passei no sítio de minha tia-madrinha. e os cuidados que tivemos uma com a outra. sou a mulher que fazia caminhadas. e agora se deita com o homem da sua vida. e isso nem é tudo. porque sou. o que ainda quero ser. e tudo isso não é só...

P.S:
Em manutenção.
de idéias.
comportamentos.
e pensamentos.

Em breve voltarei.
pra escrever.
ou traduzir.
palavras.
frases.
e desenhos.

4 comentários:

Alexandre Henrique. disse...

Jaque, eu adoro ler tudo que vc escreve, vou esperar a sua volta com desenhos, e cores que só vc sabe criar. Desejos felicidades pra você e sua família. Espero que este texto não seja uma despedida porque eu como leitor aguardo a sua volta, vc tem uma magia que é linda, vou sentir saudades dela. Bons ventos pra sua grande inteligência e pra sua alma também. Todo mundo precisa de um tempo no mundo real pra poder criar, afinal tudo o que agente escreve vem em parte dele, e você provou isto como ninguém com seu carinho e suas traduções.

Beijos,
Alex.

P.s Seu contos nunca deixarão de ser interessantes, seja baseados em fatos reais ou não!
Porque vc escreve muito, e faz isso com perícia, delicadeza e dedicação!

Flavinha disse...

Jaque, que lindo... uma delícia sua prosa... espero que não fique muito tempo ausente, gotei muito de ler você. Obrigada pela visita que me fez, seja sempre bem vinda lá no meu espaço.

Beijos!

Leandro Neres disse...

Minha nossa. Gostei muito daqui e da tua forma de escrever...
Vou voltar!
Bjs
Leandro

Camilla Tebet disse...

tudo isso não é só...
Tudo isso nunca é só. Ainda tem todos uns dias depois de outros pra ser mais. E você soube uma palavra depois da outra, tão bem colocadas pra dizer do que é feita.
Bom descanso, viva bastante e depois coloque tudo em belas palavras por aqui.
estarei aqui.