domingo, 13 de julho de 2008

Nova estação.

se mudara para aquele apartamento pequeno. queria sua liberdade. queria seu espaço. copos de cerveja. cinzeiro cheio. conversas de madrugada. refúgios. músicas. amor. descompromisso. amigos. não tinha fogão. mas tinha um bom rádio. sua coleção de livros ficava numa estante improvisada. precisava ligar pra antiga casa. os pais deveriam estar preocupados. talvez não. pensavam que ela precisava crescer. ela tinha certeza que sua vida era composta de apenas duas fases. adolescência e velhice. achava que nunca seria adulta. e gostava disso. se preocupar. não .a única coisa que queria era um amor verdadeiro. ou algumas paixões momentâneas. o telefone tocou. deixou o barulho se alastrar. colocou uma roupa. amarrou na cintura seu moletom vermelho. foi tomar um café sozinha. as ruas estavam vazias. ela comprou algumas revistas. folheava. se distraia com pensamentos corrompidos. pegou um ônibus para outra cidade. era insensata. mas queria o ver mais vez. sabia onde o encontrar. ele estava sorrindo para outra. tocava o rosto da outra como se tocasse o seu. ela chorou. ficou calada. e telefonou para sua amigas. algumas horas depois Lia e Cris apareceram. levariam ela embora. ela acreditou que era apenas uma criança teimosa. esse negócio de se entregar e amar de verdade.
-Eu ainda o amava-ela disse.
-Ele não merece sua lágrimas-Lia disse.
-Vamos beber alguma coisa- Cris disse.
-Quero ficar só-ela disse.
-Não vamos te deixar sozinha nesse estado-Lia disse.
-Vamos dormir com você então-Cris disse.
-Ok.
Ela passou a noite em claro. pensava em várias coisas que poderia ter feito diferente. mas talvez fosse apenas uma garota de estações...

4 comentários:

luna2 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camilla Tebet disse...

pensavam que ela precisava crescer. ela tinha certeza que sua vida era composta de apenas duas fases. adolescência e velhice. achava que nunca seria adulta." Também acho isso, adolescencia e depois velhice. Ainda não consigo ser adulta. Mas ai, no meu apartamento vazio, nos meus cinzeiros sujos e tudo do jeito que eu acho que tem que ficar, vejo que já adulta sou!
Quando o vejo tocando outra, bate a adolescencia novamente,,, e assim vou alternando.... achando que uma hora saio da adolescencia.. Talvez acreditar-me adolescente me ajude a ser adulta.
Adorei o post.

A Senhora disse...

Eu me casei com 30 anos, porque tinha me cansado de ser adolescente(sim, cansa ser adolescente!). Tive dois moleques, que hoje estão na pré-adolescência. Eu junto com eles e todos os seus amiguinhos. Hoje, entro no msn e os primeios a me dar "oi" tem 13 anos, 15 anos, 11 anos. Meu filho mais novo, quando conta uma história "da hora" me chama de "mano". E o mais velho tem certeza que eu ainda posso praticar judô junto com ele, porque a mãe dele é "jovem".
Resumindo: Descobri a fonte da juventude, da adolescência eterna e das pequenas rugas que se transformam em sinais da vida.
Descobri, também, que chorar é muito bom para limpar os olhos e dá um alívio grande quando respiramos direito.

Gostei do seu estilo!

Thiago disse...

de fases ou não, vale apena arriscar que seja por algum tempo, a sensação de estar só, por si mesmo. no mais, adquirir experiência, que mal há nisso né?!
prazer em conhecê-la jaque, seja bem vinda no meu mundo ^_^