quarta-feira, 11 de março de 2009

Que mulher!

Que mulher nunca teve...

Um sutiã meio furado,
Um primo meio tarado,
Ou um amigo meio viado?

Que mulher nunca tomou
Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um lexotan para dormir?

Que mulher nunca sonhou
Com a sogra morta, estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?

Que mulher nunca pensou
Em dar fim numa panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?

Que mulher nunca penou
Para que ter a perna depilada,
Para que aturar uma empregada
Ou para que trabalhar menstruada?

Que mulher nunca comeu
Uma caixa de Bis, por ansiedade,
Uma alface, no almoço, por vaidade
Ou, um canalha por saudade?

Que mulher nunca apertou
O pé no sapato para caber,
A barriga para emagrecer
Ou um ursinho para não enlouquecer?

Que mulher nunca jurou
Que não estava ao telefone,
Que não pensa em silicone
Que "dele" não lembra nem o nome?

(Autor desconhecido)

4 comentários:

Gu Japinha disse...

Kkkkkkkkkkkkk
Adorei... mas se vc falar que o "amigo viado" for Japinha, ai as coisas mudam de cara!!! rs

Bjaum JAck!!!
Mto bom esse!!!

williamlial disse...

Oi, menina.

Acredito que vocÊ não me conheça. Me desculpe vir aqui para falar de outra coisa que não o seu poema, voltarei depois para comentar seus textos, com certeza, já que gostei muit odo que vi, e por isso também quero dizer que descobri seu blog numa das poucas vezes que resolvi andar por aí conhecendo o que não conhecia na blogosfera, descobri seu blog e gostei da forma como escreve; então dediquei um selo a você. Se resolver aceitá-lo passa lá no meu blog para ver como funciona.

Um abraço!

William Lial

Letícia disse...

Jaque,

Eu adorei. E tudo é verdade... eu me vi em cada verso. Pena você não saber quem escreveu.

Beijos.

Germano Xavier disse...

Como vocês são tantas em uma só...

Um carinho, Jaque.
Continuemos...