sexta-feira, 20 de março de 2009

Por Perto

Perto de você(Teatro Mágico)
Quando começar o frio, dentro de nós
tudo em volta parece tão quieto
tudo em volta não parece perto
toda volta parece o mais certo
certo é estar perto sem estar
perto de você, sou tão perto de você, sou tão perto de você

Quando o tempo não passar, dentro de nós
cada hora é como uma semana
cada novo alô é mais bacana
cada carta que eu nunca recebo
é sempre um motivo pra lembrar
sou tão perto de você vida amarga, como é doce a dor da palavra dita de tão longe, dita de tão longe, dita de tão longe...

Quando alguém se machuca, dentro de nós
toda culpa parece resposta
nossa busca não parece nossa
nosso dia já não tem mais festa
não tem pressa nem onde chegar
sou tão perto de você

Quando a paz se anunciar, dentro de nós
é porque aquilo que nos cega, mostra um outro lado da moeda
que não apaga as coisas do meu peito
o preço é me fazer acreditar
sou tão perto de você
Vida amarga, como é doce a dor da palavra dita de tão longe, dita de tão longe, dita de tão longe

quando a música acabar, dentro de nós...
&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

Já que eu não consigo dormir, e não quero te acordar no meio da noite sem ter muito o que dizer, resolvi te escrever.
Na verdade não tenho o que falar, ao mesmo tempo de querer estar ao seu lado e poder dizer tantas coisas. Contraditório tudo isso!
Mas eu sou assim, meio adversa mesmo. Meio complicada. Meio insegura. Meio ciumenta. Meio sem jeito. Meio tímida. Meio falante demais. Meio sem segredos. Meio sem circunstância. Meio sem pretextos.
Acho que sou metade de muitas coisas, mas um dia vou ser inteira de tudo. E isso não é ruim, eu acho. Afinal, tem tanta coisa no mundo que
eu nunca vi. E outras tantas que desconheço. Mas enquanto o tempo passa vou me completando. Vou te esperando. Vou vivendo. E espero que
você faça o mesmo. Descubra todas as coisas que precisa, pra dividirmos depois.
Deixa o tempo rodar seus ponteiros lentamente. É você mesmo que
diz que temos todo tempo do mundo. Por isso, não tenho mais pressa. Nem conjugo mais verbos. Nem crio frases no futuro. Mesmo que próximo.
Confesso que estou ansiosa pra te ver novamente. Mas os dias me dizem pra ter paciência. Logo você chega. E depois me procura. Por isso, não tenho mais pressa. São poucas as coisas que carrego comigo. Afinal de contas, preciso de espaço para as coisas novas.
Outro dia, ouvi nossa música. Quis muito te ligar. Mas faltou-me coragem. Fiquei lembrando do dia em que me deu flores. Eu nada disse. Embora tivesse tantas coisas pra falar. É que não sabia o que fazer...

3 comentários:

Letícia disse...

Jaque,

Tantas vezes fico assim. Não sei o que fazer ou dizer. Fico tímida de repente e com uma vergonha de incomodar. E eu entendo o "temos todo o tempo do mundo". Já acreditei nisso e deu certo. Nós tivemos o tempo que tivemos.

Beijos, Jaque.

caurosa disse...

Olá, passei para uma visita e adorei seu blog, espero poder voltar mais vezes.

Forte abraço

Caurosa

Flávia disse...

Bonita, me passa uma conta de e-mail pra eu poder te mandar o convite de acesso do blog, que tá temporariamente fechado para convidados, ok?

manda pra flowerdanielle@gmail.com.

Beijo!