sábado, 13 de fevereiro de 2010


"O dia mente a cor da noite
E o diamante a cor dos olhos
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"(O teatro Mágico)



foi assim de repente que ele partiu. não disse pra onde ia. ou se ia voltar. mas ela esperou. os dias passaram. as noites vieram. e ela ainda o amava. perdoaria o impulso contraditório que ele teve no meio da semana. queria dizer que não se importava. também estava cansada de algumas coisas. a distância ainda doia nela. mas ia passar. mesmo que ela não quisesse se proteger em outros braços que não fossem o dele. mesmo que ela não quisesse conhecer outro cheiro que não fosse o dele. mesmo que ela não quisesse beijar outros lábios que não fossem os dele. mesmo que ele não a amasse mais.
queria entender o que não se explicava. o que ele não tinha dito. o que jamais compreenderia. será que ele cansou dela falar demais. ou cansou dela querer só ele. ou cansou dos planos do futuro que haviam feito. ou cansou do cheiro que ela tinha. ou cansou da vida correta e regrada que ela levava. ou apenas cansou-se de tudo isso.
ela tinha se dado de todo pra ele. que já nem sabia mais ser dela. era estranho sair nos mesmos lugares sem ele. parecia errado acordar e não pensar nele. por isso pensava. mesmo que não dissesse nada pra ninguém. não chorava mais. depois de sentir a dor mais forte que havia sentido na vida. aprendeu a se conter. guardava o amor por ele em segredo do mundo.

na verdade. a menina ainda atendia o telefone desejando que fosse ele. atendia a campanhia arrumada. pois podia ser ele. olhava nas caixas de correio pra ver se tinha cartas dele.

um dia se cansaria. e então o esqueceria. sabia que sinceramente não poderia esquecer dele. mas depois de algum tempo de dor. ela não mais iria esperar. a saudade continuaria apertando o peito.

Qualquer hora alguém ia amar ela. e isso seria suficiente.

Para B.

"Saudade é não querer saber. Não querer saber se ele está com outra, se ela está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda assim, doer." (Martha Medeiros)

2 comentários:

Enjembement disse...

Saudades...

Nucifera disse...

saudades...

passe em casa, estou com novo dominio...

http://nuciferaemflor.blogspot.com/